segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Essa é a minha história - "Gravidez crônica"


Essa é a história de Engraçadinha que, logo após uma cirurgia plástica que a deixou maravilhosa, se descobriu grávida do terceiro filho. Confiram:


" Quando a necessidade se fez, desesperei, descabelei e achei que ficaria rica e famosa se contasse ao mundo que 3 meses após uma plástica que me deixou gostosa, engravidei de uma menina. Tsc, tsc, tsc. Bom, ao menos rendeu um ótimo livro.

A essa altura do campeonato, tudo que eu não esperava era ser mãe de novo!
Estou sendo sincera. Absolutamente sincera.
Eu não fui daquelas meninas santinhas casadoiras, mas do meu grupo de amigas, fui a primeira a juntar os paninhos de bunda.
Nunca fui do tipo maternal, mas desse mesmo grupo, fui a primeira a ter filho. Depois outro filho... e agora, mais outro filho.




Esse outro filho ainda está ecoando aqui dentro do meu cérebro.
Tipo... hallooou?! Eu acabei de fazer uma plástica! Vai arrebentar tudo.
Claro, não posso ficar pensando nisso, nem me apegar ao que pode não dar certo pra mim. Em todo caso, quando se tem uma notícia dessas, observar os obstáculos antes de sair pulando de felicidade, é a primeira reação q se tem.

Então vamos a eles:
1- Estou pagando uma uma cirurgia plástica em 24x que mesmo depois que meu terceiro filho nascer, eu ainda estarei pagando, porém o resultado estético será de perda total;

2- Ainda não botei aquele biquini quase pelada que tanto sonhei;

3- Pode ser que seja menina dessa vez, pois eu já tenho 2 meninos;

4- Como Murphy não dorme, terei de fazer um novo enxoval caso seja menina;

5- Meu apartamento só tem 2 quartos e 1 deles já é ocupado por 2 meninos;

6- Estou totalmente sem tesão e muuuito enjoada;

7- Meu senso de humor foi pro caralho e eu não estou com vontade de falar com ninguém sobre nada. Digitar ainda é um bom negócio, mas a minha vontade é de ficar muda e invisível até meu enjôo passar!



Depois dos obstáculos pulados e vomitados devidamente, vamos as partes boas!

1- Apesar dos anjos serem uns sacanas e fazerem umas brincadeiras de mau gosto que só eles entendem, sei que essa criança será muito amada;

2- Essa criança já está sendo amada lá em casa e Pacotinho me fez chorar ao falar com aqueles olhões lindos: Mãããe e dessa vez eu nem pediii!;

3- Pacotinho já sabe q foi papai que botou a sementinha aqui dentro. Então, será menos uma conversa sobre sexo q terei;

4- Estão todos felizes e apesar de ter vomitado algumas vezes nesse fim de semana, percebi que até Cabeça de Bolinha está mais comportado. Agora, quando eu brigo com ele, ele pede colo pro irmão e diz: Pesaaado, pesaaaaado! (se referindo ao próprio peso);

5- Pacotinho vai poder pegar o bebê no colo, mais do que da outra vez! Agora ele aguenta;

6- Se eu não me mudar prum apartamento maior, vou empilhar os meninos - Palavras de Engraçadão;

7- Se for menina, finalmente será Lourdes e se for menino, Arthur. Chega de nome composto que na hora da briga, o que sai não dá nem pra repetir!

8- Finalmente eu me tornarei uma garota de programa, Engraçadão michê e os meninos venderão limão no sinal em frente ao mercadinho;

9- A família continuará mais esquizofrênica do que nunca, no entanto mais feliz. Já dizia minha Vó Lourdes, que Deus a tenha: Onde comem 4, comem 5!

10- Eu vou ligar as trompas! Engraçadão vai dar nó no pinto e nunca mais faremos sexo!

Brincadeiras à parte, eu sei que existe algum propósito nessa gravidez.
Falei errado no outro post. Eu fazia coito interrompido há quase 15 anos (completados no dia 30 de Setembro deste ano).
Quando engravidei dos meninos, NÃO FOI USANDO ESSE MÉTODO!

Então só posso concluir, que essa criança foi mandada pelo povo lá de cima que precisava urgentemente da minha ajuda e como eu não sou de fugir do bom combate (ao menos não dormindo!), na hora daquela reunião no astral, eu devo ter levantado os dois braços gritando: EU, EU, EU! ME ESCOLHE, ME ESCOLHE!

Louca eu? Muito provavelmente.
Por isso, peço que se me encontrarem no astral, em alguma reunião dessas, façam-me um favor: me amarrem, me amordaçem e me dê um mata-leão para evitar qualquer tipo de surpresa.

Seguindo a linha absolutamente sincera way of life, posso dizer que tem uns 4 dias que estou curtindo a minha gravidez. Sexta, sábado, domingo e segunda. Mais exatamente, posso dizer que estou feliz.

É, eu não estava feliz antes.
Primeiro por conta da responsabilidade q é uma gravidez, depois porque aborto é coisa que não faço, porque sei que tudo na vida tem consequências; depois porque tem um negócio chamado dinheiro nesta vida e outra, que não queria mais ser mãe. Ou achava q não queria.

Vc descobrir que não se governa, q não é totalmente dona do seu destino, quando acredita piamente q o é... foi das coisas mais difíceis que eu enfrentei. E foi bem numa época em que estava bombando no trabalho, estava me divertindo horrores, estava amando loucamente, fodendo muito também... me sentindo plena com meu corpo finalmente... então deve ser por isso que eu levei os 9 meses para aceitar que estava grávida de novo.

Nem é tanto por esperar uma menina, é a questão de gestar mesmo. A idéia de ter outra criança aqui me ensinando e me dando amor, é uma idéia que me alegra; eu só não queria passar por toda a odisséia de novo.

Mas agora eu estou feliz. Amanhã ela chega e eu estou imaginando seu cheirinho, seu rostinho, sua pequenez e como eu vou ficar totalmente embriagada pelo seu amor.

As pessoas não sabiam como eu estava. Eu nem tenho vergonha de falar sobre isso, porque aprendi a assumir meus atos desde muito cedo e a não ter vergonha de ser o q sou, independente das opiniões. Além de odiar hipocrisia desde sempre. Então eu vinha bebendo todos os dias e quase que diariamente usando drogas ilícitas de teor proibido também. A ponto de apelar pra Ypioca com suquinho quando acabava a cerveja. Na verdade eu só respeitava os domingos e dias santos.

Eu não quero mais ficar assim. Quero o caminho do meio. Por amor e respeito a mim e aos meus filhos. Daí eu chamar de muleta. Não pensem q eu vou virar uma chata, careta e moralista. Claro q não! Só acho q vc fazer rotina de qualquer hábito q seja, chega uma hora q enche o saco.

Então o caminho do meio significa beber com os amigos, tomar choppinho no fim de semana, de repente usar sim minhas drogas ilícitas de teor proibido se bater a onda de usar, mas não mergulhar em tudo isso. Essa postura só leva a uma coisa: doença. E a Engraçadinha junkie, agora reconhecendo, já estava me dando no saco.

Daí que eu posso olhar pra trás agora e ver que esses 9 meses de cara limpa foram absolutamente para o meu bem. Que Deus, usa de duas formas pra ensinar a gente: ou pela dor, ou pelo amor. No meu caso, Ele foi generoso e me mandou um amor pra me fazer repensar minha postura. Já conheci e aprendi pelo meio da dor e galera, posso jurar pra vcs de pé junto q DÃO É LEGAL! É a pior forma. 



Então, hoje eu estou muuuito feliz, porque amanhã é o grande dia.
Amanhã é o dia em que vou conhecer uma grande mulher, um grande espírito que veio me salvar, me mudar pra melhor e me dar tanto amor quanto eu preciso.

Lourdes está chegando."