segunda-feira, 30 de julho de 2012

Essa é a minha história- por Luciana

Sou Luciana Munira,
Bailarina, professora, coreógrafa e empresária.
Tenho 25 anos e minha idade espiritual nada tem a ver com a cronológica.
O que mais amo nessa vida e me fascina é a arte, especialmente a música.
Amo tanto que só me tornei bailarina, por ter fascinação por música e acho isso muito curioso, porque mesmo sem ter tido a possibilidade de estudá-la quando criança, busquei um caminho paralelo para essa realização e sigo isso ao longo de minha vida em todos os aspectos.
Se não posso realizar algo como quero, pego um caminho secundário, desde que não perca de vista, o que quero.
Tenho alma de filósofo... Tem a ver com a lua em gêmeos, quero saber o porquê, do porquê, do por quê e isso me faz gostar de ler e escrever.
Falar pra mim, ainda é um grande desafio!
E antes mesmo de abrir a boca, meu olhar sempre fala por mim, denuncia cada sensação boa ou má, consciente ou inconsciente, pronta ou semeada quem tem sensibilidade, percebe! Até o que eu não quero! Rs.
Pelo incrível que pareça, sempre me expresso melhor escrevendo e me entendo melhor, lendo.
Vejo e faço poesia em tudo o que vivo, vejo, sinto, observo, toco e até o que silencio.
Minha vida transborda emoção, sentimento.
Aliás, viver é a maior de todas as emoções!
Cada tropeço, cada desilusão, cada barreira, cada descoberta, cada pedacinho de lágrima derramado vale a pena porque isso é sinal de que estou viva, de que tem um coração gigante, bem maior que eu aqui, batendo em seu ritmo acelerado ou lento mas sempre em movimento.
Movimento é outra coisa que adoro.
Tudo o que não se move, um pouco me assusta, um pouco me afasta e logo fico desconfiada.
Movimento só acontece de DENTRO para FORA, não de fora para dentro, como algumas pessoas de minha profissão acreditam e de todas as outras profissões da vida.
Adoro ser mulher e através da Dança descobri o quanto somos fortes.
Não digo da força bruta, que muitas vezes vestimos para nos defender mas falo da força feminina sutil, suave.
Aprendi o quanto temos força e encanto no quadril, nos cabelos, no olhar, nas mãos, nos pés, nos seios, nas pernas, nos dedos, na cabeça, no coração, no espírito, na alma...
E isso só é alcançado quando buscamos por nós, quando nos empenhamos nessa árdua, longa e difícil caminhada de saber separar o que é nosso, o que nos colocaram, o que aceitamos, o que queremos, o que não queremos, o que não suportamos e assumir para nós mesmas e para o mundo, o que somos de verdade. Seja homem ou mulher e não importa a idade, o que viveu, os sonhos que teve de deixar pelos caminhos tortuosos da vida, o que teve de calar, o que teve de recomeçar e aprender, se for verdadeiro, é válido!
Acredito na transformação de tudo e acho lindo quem sabe fazer da vida, uma bela e grande poesia!


"Bem no fundo de cada uma de nós existe uma mãe ansiando por alimentar, há uma amante impaciente por flertar e uma madona serena em sua sabedoria.
E todas são postas para dançar, quando o ritmo as golpeia".
Gabrielle Roth.




Toda mulher interessante tem uma história (ou inúmeras!) igualmente interessante e é justamente isso que nós queremos ler!


Compartilhe com a gente alguma coisa interessante que aconteceu com você.


Toda semana postaremos uma história só sua, para que outras mulheres possam ler, se inspirar, rir, chorar, dividir um pouquinho das emoções através da sua narração.